quinta-feira, 8 de setembro de 2011

BIOGRAFIA


Ana Carolina Souza, nascida em Juiz de Fora, Minas Gerais em 9 de Setembro de 1974. Cantora, compositora, arranjadora, violonista, pianista, contra-baixista e percussionista, a sua influência musical vem de berço. A sua avó cantava em rádio, seus tios-avós tocavam percussão, piano, cello e violino. Ícones da música brasileira como Chico Buarque, João Bosco e Maria Bethânia eram ouvidos por Ana Carolina durante a sua infância. Nina Simone, Bjork e Alanis Morrissete se destacam na sua preferência internacional. Iniciou a carreira de cantora se apresentando em bares da vida noturna de sua cidade natal e teve seus primeiros espetáculos produzidos pela atriz e cantora Zezé Motta. Deixou o Curso de Letras onde cursava o sexto período na Universidade Federal de Juiz de Fora para se dedicar integralmente à música e seguiu para o Rio de Janeiro com o firme propósito de fazer da música uma profissão. Sua voz grave, potente, afinada, de timbre forte e cheia de melodia logo ultrapassaria as fronteiras de sua cidade, e assim a voz viril de Ana Carolina encantou Luciana de Moraes, filha de Vinícius de Moraes que resolveu apostar em sua carreira, durante um show na casa carioca Mistura Fina em 1998, espaço tradicionalmente reservado para atrações de Jazz. Através dos contatos fonográficos de Luciana, em apenas 15 dias Ana Carolina assinou um contrato com a BMG em 1998. O CD "Ana Carolina" chegou ao público de todo o Brasil em 1999 e, de imediato, emplacou um sucesso, "Garganta". Este CD, uma verdadeira obra de arte e de imediato Ana Carolina se transformou numa das artistas mais queridas do Brasil. Clássicos antigos da MPB com "recriações" muito pessoais (Beatriz de Chico Buarque, "o tango" Alguém me Disse de Evaldo Gouveia Jair Amorim e "o blues" Retrato em Branco e Preto de Chico Buarque e Tom Jobim) são resgatados, passou pelo POP de Lulu Santos (Tudo Bem) e Ana Carolina se revelou como compositora (A canção tocou na hora errada, Trancado, Armazém e O avesso dos ponteiros) e também o gaúcho Totonho Villeroy (o destaque Garganta, música feita para a cantora, To Saindo), que passou a ser o seu grande parceiro em composições. Este CD que rendeu à cantora um disco de ouro, tornava - se um marco na história da música no Brasil pois evidenciava o perfil multitalento da artista. O público rende - se à sua voz grave, seu dedilhado no violão, seu som vibrante na guitarra e seu toque forte no pandeiro. Ana Carolina foi indicada ao Grammy Latino através desse CD. Ana Carolina começa a fazer parcerias com seus ídolos Chico Buarque que a convida para participar de seu Songbook com as músicas "Mil Perdões" e "Eu te amo"; João Bosco a convida para participar do seu CD com a música "Mama Palavra". Ana Carolina compõe e interpreta músicas para o filme "Amores Impossíveis" as músicas "Velas e Vento" e "Margem da Pele", esta última interpretada por Paula Lima. As músicas da cantora como "Garganta" passam a fazer parte de trilhas sonoras de novelas. Garganta incluída na trilha sonora da novela "Andando nas Nuvens", da Rede Globo, a música despertou no público brasileiro a curiosidade sobre a identidade da cantora - logo revelada em fantásticos shows nos quais, além de cantar e tocar violão, Ana se arriscava no pandeiro, extasiando uma plateia que crescia de show para show. Importante saber: Ana aprendeu a tocar pandeiro de ouvido, escutando repetidas vezes o disco "Olho de Peixe" de Lenine e Marcos Suzano. A confirmação do talento de Ana Carolina e a sua consagração definitiva vieram em 2001 com o lançamento de seu segundo CD. As rádios passam a tocar com grande assiduidade as músicas de Ana Carolina. Antes mesmo de o disco chegar às lojas, em abril, o Brasil já cantava a balada "Quem de nós dois". É que a música tornou - se conhecida do público ao ser incluída na trilha sonora da novela "Um Anjo Caiu do Céu" da Rede Globo. Lançado em 2001, este segundo álbum "Ana Rita Joana Iracema e Carolina" faz referência às músicas do cantor Chico Buarque, ídolo da artista mineira. Toda sensibilidade e irreverência da cantora ao apresentar hits como "Quem de nós dois" (versão em português de La mia storia tra le dita do cantor italiano Gianluca Grignani) atinge o público de todas as idades e todas as classes sociais, evidenciando o que ela própria diz "música é pra muita gente". "Ela é bamba", outro grande destaque, popularizada em outra novela global "As Filhas da Mãe" foi revelada nesse disco onde ela assina onze canções. A marca também do dueto de Ana Carolina com Alcione em "Violão e Voz". Em abril de 2001, Ana Carolina sofre um acidente de carro porém continua percorrendo o Brasil com seu show sentada numa cadeira de rodas e depois em pé. O Brasil consagra Ana Carolina e comparações com Cássia Eller e Zélia Duncam desaparecem. Ana previa: "Daqui a dez anos vai surgir uma cantora de voz grave e as pessoas vão dizer que se parece comigo". E no mesmo ano algumas cantoras surgiram no cenário musical brasileiro e foram comparadas com Ana Carolina. "Estampado" foi o terceiro disco de Ana Carolina que abre o leque de parceiros compondo com nomes como Chico César, Seu Jorge e Vítor Ramil. Lançado em agosto de 2003. Com esse trabalho a cantora obtêm o reconhecimento e aprovação do público. Uma mescla de ritmos que confirmam a originalidade do seu trabalho é encontrada nesse CD de quinze faixas. Ana o define: "ao compor este disco percebi que havia feito canções de estrutura, formato e ritmo bem diferentes e estampado significa cores, texturas e formas díspares constituindo um mesmo tecido, logo, a unidade deste disco está primeiramente na compositora/cantora, em segundo ao violão, que fiz questão de executar em todas as faixas, enfim, Estampado assume a pluralidade das composições". Treze canções (seis da própria cantora e as outra sete com os parceiros Antônio Villeroy, Celso Fonseca, Chico César e Seu Jorge) de autoria própria detectam a personalidade forte marcante da cantora. O primeiro destaque, "Elevador", virou um hit nos shows, com seus refrões cantados a plenos pulmões pelo fiel e já numeroso público da artista. Mas a faixa que lideraria as paradas radiofônicas e impulsionaria as vendas do disco foi "Encostar na Tua", projetada na trilha da novela "Celebridade". Em Estampado Ana declara o seu lado de pintora, o encarte do seu CD tem diversos grafismos feitos for ela que revela: "Eu sempre escuto a música várias vezes depois de pronta, e cada vez que eu escutava pintava um quadro. Gostei tanto dos desenhos que decidi incluir no disco". Antes de o CD emplacar outras faixas, como "Uma Louca Tempestade"  Ana Carolina lança o DVD Estampado, seu primeiro DVD. Um misto de filme-documento e musical, em outubro de 2003, um making off do CD com participações de seus ídolos Chico Buarque e Maria Bethânia (para quem Ana tinha feito em 2001 a música "Pra Rua me Levar", no vídeo cantada em dueto por Ana e Bethânia), família e fãs. O DVD também apresenta um show feito pela artista no Largo da Carioca no Rio de Janeiro e também apresenta performances de voz e violão da artista. Em novembro de 2003, Ana Carolina estreia a turnê do Estampado em Juiz de Fora e em seguida no Canecão no Rio de Janeiro. Ana revela em relação ao Estampado: "a minha ideia para este trabalho foi a de um diagrama ligado ao coração", e somente algo tão expresivo lhe daria o retorno de um público a ovacionando como aconteceu na verdade. Com mais de 100 mil cópias vendidas, registra-se a consagração definitiva de Ana Carolina no primeiro escalão da música popular brasileira e dando rumo para perpetuar o seu trabalho artístico. A turnê Estampado foi um sucesso, o CD considerado o melhor de sua carreira e só se ouvia Ana Carolina. O sucesso do CD Estampado foi tamanho que Ana Carolina passou a ano de 2004 na estrada, fazendo shows. Todo o fervor de seu público em torno da artista foi captado pela diretora Monique Gardenberg nos egundo DVD da cantora, Estampado - Um instante que não Para. No vídeo, Ana canta músicas como "Sinais de Fogo", composta e dada por ela para Preta Gil.  Compositora, em uma de suas declarações, chegou a revelar que muitas de suas músicas têm caráter confessional, que antes de mais nada tratam de sentimentos próprios. Busco sempre alimentar a minha fome de compor, compor e compor cada vez mais e melhor. A chave disso é dedicar sempre um tempo para as minhas composições e cultivar bons parceiros, como eu faço.
O seu quarto disco de destaque entre os já consagrados cantores da música popular brasileira, é a Coletânia “Ana Carolina (Perfil)” lançado pela Som Livre em 2005, o mais vendido do ano com 1,5 milhões de cópias vendidas, onde foram reunidos os maiores sucessos dos três primeiros álbuns com músicas que até então marcaram a sua carreira. Ao oferecer, no início de 2005 um coquetel no badalado restaurante carioca 00 para festejar o sucesso do CD e DVD Estampado e Estampado Um Instante que Não Para, de Ana Carolina a gravadora Sony/BMG comemorou também o êxito meteórico da trajétória desta cantora e compositora mineira. Ainda em 2005, o show entre Ana Carolina e o cantor Seu Jorge rendeu um CD e um DVD, durante o projeto Tom Acústico de 2004, intitulado “Ana & Jorge” que foram lançados pela Sony Music em 2005 e obteve ótima receptividade pelo público e críticos musicais. A música “É isso aí”(versão de Ana Carolina para "The Blower´s Daughter) atingiu o primeiro lugar nas paradas de sucesso. Ana se prepara para gravar um novo disco já tendo composto músicas com parceiros como Jorge Vercilo. O ano de 2005 parecia mesmo ser o ano da cantora que em entrevista à Revista Veja de dezembro em reportagem de capa declarava: "Sou bissexual. Acho natural gostar de homens e mulheres", disse ela à publicação. A cantora e multi-instrumentista Ana Carolina passou a integrar o corpo de apresentadoras do programa “Saia Justa” a partir de agosto de 2006 no canal GNT, deixando o programa ainda mais interessante. Ana Carolina ganhou muitos prêmios ao longo da sua carreira dentre eles o Prêmio Multishow 2006 nas categorias Melhor Cantora e Melhor CD “Ana & Jorge”. Em 2006 lançou o sexto álbum “Dois Quartos” com dois CDs, o primeiro chamado “Quarto” (com a primeira faixa de trabalho e o pop tradicional de Ana Carolina que fãs e rádios já estão habituados) e o segundo “Quartinho” (onde Ana ousa experimentar outras linguagens e outros formatos).
Dois Quartos, por Ana Carolina:
"Em 1999, gravei Ana Carolina; em 2001, Ana Rita Joana Iracema e Carolina; e, em 2003, Estampado. Em 2005, portanto, seria a hora de gravar um novo CD, mas ele acabou sendo adiado, devido a Ana e Jorge, um trabalho especial, despretensioso, que se revelou um inesperado tanto quanto bem-vindo sucesso. Sou uma compositora compulsiva e gosto muito disso. Estou sempre me encontrando com um parceiro ou outro para fazer música. Desde a finalização de Estampado, vinha acumulando canções e me veio a vontade de fazer um CD duplo. Diante disso, pensei em separar o que eu tinha em dois quartos: no primeiro, entraria a Ana Carolina pop, mais conhecida; o outro, um quartinho, seria preenchido por composições harmonicamente mais sofisticadas, com arranjos densos, algo bem diferente do que eu vinha apresentando até aqui..."
 E assim, a cantora se supera em maturidade e criatividade. Ana Carolina foi mais uma vez premiada. Venceu o Prêmio Multishow 2007 na categoria Melhor Cantora.
Multishow ao Vivo Ana Carolina Dois Quartos (CD/DVD) -  Projeto da cantora Ana Carolina com lançamento do selo Armazém e distribuição da Sony/BMG.
Foi gravado nos dias 24 e 25 de novembro de 2007 no Credicard Hall em São Paulo entretanto a cantora fez um show no dia 23 de novembro que não foi gravado. Ana Carolina levou o público ao delírio ao cantar suas novas canções como “Cantinho”, “Eu comi a Madona” e também seus grandes sucessos como “Pra rua me levar”, “Rosas”, “Trancado” e muito mais. A cantora ainda interpretou três novas canções intituladas “Eu que não sei quase nada do mar”, “Cabide” e “Três”, totalizando 26 músicas das quais 15 compõem o CD.
Ana Carolina executou o sucesso “É isso aí (The Blower´s Daughter)” ao piano para deleite de seu imenso público.
Iniciada em 2007, a turnê "Dois Quartos" realizou mais de 120 apresentações pelo Brasil, incluindo cidades do interior, além de visitar o Chile e países da Europa.   Mais de 500 mil pessoas assistiram a essa temporada.  a turnê tinha um clima mais minimalista. Tocando um baixo elétrico, a cantora entrava no palco acompanhada apenas pelos vocais de sua banda. No decorrer das apresentações, Ana Carolina criou, quase por acaso, um novo formato de show. Durante as longas jornadas por todo o Brasil, foram vários os momentos em que sentou com músicos de sua banda para experimentar novas canções.
Em tão pouco tempo, Ana Carolina recebeu diversas premiações, CDs e DVDs de ouro e está entre as grandes cantoras do país. Eu fico sempre muito feliz com o reconhecimento do meu trabalho. É muito bom se dedicar, trabalhando duro como eu faço, e ver que o mercado e as pessoas reconhecem este esforço, este cuidado, e me prestigiam com sua atenção e carinho, finaliza.
Uma importante conquista da artista foi seu selo próprio, Armazém, o que possibilita
mais autonomia e liberdade na hora de fazer negociações. Além disso, Ana Carolina
passará a trabalhar do outro lado, contratando novos artistas.
Ana Carolina se diz exigente em tudo o que faz e impaciente com quem não tem
talento para o que se propõe a fazer, “fico pensando como é difícil escolher quem
você vai contratar, o que pode ser realmente novo e bom. Eu quero conseguir uma
hora fazer uma contratação de algo novo, diferente, bacana, mas não sei quanto
tempo isso vai demorar”.
 
Recentemente, foi lançada sua linha de produtos exclusivos (camisetas, anéis e
adesivos) pleito antigo de muitos de seus fãs.
 
Na internet, Ana Carolina é prestigiada por mais de 450 mil pessoas, na maior
comunidade que a homenageia, em um site de relacionamentos.
Em 2008, mais uma vez faz brilhar o Prêmio Multisow de Música Brasileira e recebe o prêmio na categoria  "Melhor Show".
Em 2009, um momento inesquecível em sua vida, participa e canta "Força Estranha" na festa dos 50 anos de carreira do Rei Roberto Calos.
Ainda em 2009, foi indicada  com toda a sua magnitude para duas categorias no Prêmio Multishow de Música Brasileira "Melhor Cantora" e "Melhor DVD".    
Lançado em agosto de 2009, o novo CD N9VE (recebeu essa denominação devido os "noves" presentes na vida da artista: nasceu em 09/09, lançou o seu primeiro CD em 1999 e consequentemente comemora os seus 10 anos de carreira em 2009) de Ana Carolina em comemoração aos seus dez anos de carreira com nove canções inéditas e parcerias internacionais é mais um marco de sucesso absoluto na carreira dessa consagrada cantora mineira e principalmente brasileira que se impôs rapidamente entre as melhores cantoras do Brasil.

FONTE: Fã Clube Ana Musical.
                                                                                               

Nenhum comentário:

Postar um comentário