quinta-feira, 11 de agosto de 2011

FESTIVAL DE MPB TRAZ ANA CAROLINA NA PROGRAMAÇÃO


Ana Carolina é uma das atrações do festival, que contará também com Paralamas do Sucesso, Maria Gadú e Zé Ramalho.

Por: Carla Machado

São Paulo

Detentora de uma das vozes mais marcantes da MPB, Ana Carolina coleciona, em pouco mais de 10 anos após gravação de seu primeiro trabalho, sete CDs e quatro DVDs, além de turnês nacionais e internacionais. Autodidata e influenciada por artistas como Chico Buarque, João Bosco, Nelson Cavaquinho, e Lupicínio Rodrigues, entre outros, Ana Carolina construiu sua carreira em bases sólidas, que foram arquitetadas por canções de letra intensa e melodia envolvente. Músicas românticas, e, por vezes, também polêmicas, compõem o repertório da cantora, que estará presente na segunda edição do Festival Nova Brasil FM, promovido pela rádio Nova Brasil FM, que ocorre no próximo dia 13 de agosto, na Arena Anhembi, em São Paulo.

Atualmente em turnê pela Europa, Ana Carolina está com a agenda lotada. Mas, entre uma viagem e outra, a cantora concordou em responder, por e-mail, algumas perguntas sobre sua carreira e expectativas sobre o festival.

Quando lançou seu DVD "Ana Carolina - Dois Quartos", em 2008, você declarou em uma entrevista que aquele era seu melhor trabalho até então. Na sua opinião ele continua sendo o projeto que mais marcou sua carreira ou isso mudou?

Realmente gostei muito de "Dois Quartos", o CD que me deu uma possibilidade incrível de gravar dois discos complementares para serem lançados como um álbum duplo. O processo criativo é sempre inquietante, e com este CD duplo praticamente consegui esgotar o que fazia e o que pensava fazer, naquela época. Foi muito bom. Mas o melhor mesmo é sempre o último trabalho. Fiz um disco de que muito me orgulho, o CD "9", em 2009, que deu origem ao DVD "Ana Car9lina + 1", com a participação de Maria Bethânia, Gilberto Gil, Luiz Melodia, Maria Gadú, Seu Jorge e Chiara Civello, dentre outros.

Na mesma época você disse que tinha "preguiça de pensar em carreira internacional", mas está com outra turnê pela Europa. Conte como foi esse processo de mudanças na sua vida.

Na verdade, não era preguiça. É que sou muito exigente e perfeccionista no meu trabalho, e não havia até então encontrado fora do Brasil as mesmas possibilidades e garantias de produção que preciso para me apresentar na minha melhor forma para o público. Mas isso é passado. Em Portugal me apresentei diversas vezes, sempre com muito sucesso.

Como está a realização dessa turnê?

No último dia 6 de julho me apresentei em Lisboa, para um Coliseu lotado. Foi um show lindo e emocionante. Na última sexta - feira (8) me apresentei na Suíça, no Festival de Montreux. Além destes países, tenho me apresentado regularmente na Espanha, França, Itália, Holanda e Inglaterra. Mais perto do Brasil, tenho ido com frequência ao Chile e à Argentina.

Seus trabalhos e shows são marcados por participações de renomados artistas, como John Legend, Maria Bethânia, Chico Buarque, Gilberto Gil, Maria Gadú, e recentemente, Chiara Civello, entre outros. Parcerias musicais também dependem de "química"?

Dependem é da sorte mesmo. Tanto para ser prestigiada por tantas pessoas especiais, (meus ídolos), que aceitaram meu convite para compor ou cantar comigo, ou para encontrar um bom parceiro.

É possível dizer qual dessas parcerias marcou mais na sua carreira?

A parceria com o Gilberto Gil foi emocionante. Mandei um samba para ele, morrendo de vergonha, e ele me devolveu dois dias depois, com uma letra incrível. O samba chama - se "Torpedo". Com o Antônio Villeroy é sempre especial: ele foi e continua sendo meu parceiro mais importante. Com Tom Zé, foi a realização de um sonho e com a Chiara Civello, minha parceria mais recente, um encontro de almas. Posso dizer, ainda, que ouvir Maria Bethânia cantar uma música minha foi uma das maiores emoções da minha vida.


Como trabalha o processo de desenvolvimento de um projeto?

Não tem uma regra específica. Cada trabalho, seja CD, DVD ou show, é um processo único e especial que a maturidade tem tornado cada vez mais fácil e prazeroso.

Seus trabalhos sempre mostram novidades. Onde busca inspiração?

Em tudo que eu vejo, leio, escuto e vivo. A inspiração, vem da vida.

Como analisa essa chamada Nova MPB?

Prefiro curtir e interagir ao invés de perder meu tempo "analisando". Tenho a sorte de ter amigos e parceiros como Edu Krieger, Kassim, Alê Siqueira, Martinália, minha querida, amada e idolatrada Maria Gadú, pra citar alguns do Rio.

Recentemente foram divulgados seus planos para um novo projeto. Quais são as novidades?

Poxa, esta pergunta não vou poder responder. Vocês terão de esperar. Mas vem coisa boa aí.

Qual é a expectativa de tocar no Festival de MPB realizado pela Nova Brasil FM?

A melhor possível. Me sinto muito prestigiada em fazer parte deste evento.

E a importância de um festival como este para o campo musical brasileiro?

É muito importante ter um grupo de comunicação voltado para a MPB que promove eventos que possam trazer esta produção para um número maior de pessoas, fora do roteiro dos teatros e casas de shows. Desejo muito sucesso e muitos anos de vida a este evento, esperando que ele possa se multiplicar para outras praças, além de São Paulo.

FONTE: Panorama Brasil.      

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário