quinta-feira, 26 de agosto de 2010

ALTOS E BAIXOS DO PRÊMIO MULTISHOW 2010

Por Jamari França


Foram tantas emoções, bicho. Nem todas agradáveis, mas teve algumas ótimas, como por exemplo, a banda Hori ter perdido nas três categorias a que concorria e o ombudsman do prêmio, o veteraníssimo Serguei, 7.7 nas costas que, dizem, trocou as fraldas do Chucy Berry, ter sacaneado em alto estilo o vocalista Fiuk, dizendo na cara dele que as bandas atuais fazem rock com letras de pagode - "Está tudo muito melado" - reclamou. Mas foi ótimo a Pitty ter ganho o melhor DVD com Chiaroscope, um espanto para ela mesma, como disse no palco, diante de concorrentes tão mais comerciais e badalados, como Luan Santana e Victor & Léo. E a homenagem especial do ano ter sido para os Titãs, a tempo de pegá - los pelo menos com quatro integrantes dos nove originais.

Ana Carolina levou como melhor cantora e não tinha para mais ninguém entre suas concorrentes. Ela provou isso na hora da homenagem aos Titãs. Ouvir Epitáfio bem cantado faz uma grande diferença. Samuel Rosa comemorou sua vitória como melhor cantor na categoria mais bem equilibrada, com concorrentes dos anos 60 (Caetano Veloso), 80 (Dinho Ouro Preto), 90 (o vencedor) e 00 Di Ferrero (NX Zero) e Lucas Silveira (Fresno). A banda Cine ganhou como melhor grupo , derrotando bandas bem superiores, como Titãs e Skank, e a Restart. Foram muito vaiados pela galera das arquibancadas, mas receberam mais de 30 milhões de votos e, como o prêmio é decidido pelo vox populi, levaram. Uma nova categoria, Experimente, foi para a banda Movéis Coloniais de Acaju, de Brasília, uma formação que faz música de qualidade. Achei justo, mas torci pelo Cidadão Instigado, do Ceará, uma banda que gosto muito.


ANA CAROLINA CANTANDO E ARRASANDO COM "EPITÁFIO" NA HOMENAGEM AOS TITÃS


O lamentável Luan Santana ganhou como revelação em detrimento de Maria Gadú, a única concorrente que valia a pena. Ela levou o prêmio de melhor álbum e recebeu do Multishow, o mesmo impulso dado pela Globo na abertura da novela passada (afinal, ela é contratada da Som Livre, a gravadora da casa). Também cantou com Caetano - um bom momento da noite com Rapte - me Camaleoa - e na homenagem aos Titãs. Gadú tem um timbre agradável, boa afinação e deve ter uma boa carreira se fizer as escolhas certas. 

A produção decidiu reunir estilos diferentes para cantar as músicas da noite, ou o mesmo estilo cantando coisas diferentes, como Skank e Nando Reis mandando Vem Morena, de Luiz Gonzaga. O axé e o sertanejo se reuniram com Cláudia Leite e Victor & Léo para cantar Pais e Filhos, da Legião Urbana, mas Cláudia entrou muito mal e o número ficou capenga porque Leo inventou de fazer a plateia cantar e não funcionou, pararam, não sabiam o que cantar até que Victor, do palco, retomou as rédeas. No acompanhamento estava a banda Tantra, com três músicos que tocaram com a Legião sem fazer parte da banda, Fred Nascimento (violão), Gian Fabra (baixo) e Carlos Trilha (teclados), apresentados erroneamente por Victor como membros originais do Legião.

A Banda Cine se juntou a Lu Alone numa apresentação patética de A Ursupadora e I Love Rock ' n Roll (estão devendo desculpas a Joan Jett). A banda Copacabana Club, de Curitiba, fez uma apresentação correta de Just Do It, como uma postura de ai - como - eu - queria - ter - nascido - na - Inglaterra. No gênero, prefiro o Glass and Glue, em que cantava a fantasmagórica Mayana Moura, que deixou a banda para ser atriz (escolha errada: como atriz era boa cantora). A cereja do bolo na parte de shows foi grupo britânico Bombay Bicycle Club, a melhor banda britânica de todos os tempos da última semana, com dois números, How can you swallow so much sleep e Always Ilke this, esta com a batucada samba do grupo Empolga ás 9. Não empolgou.

A homenagem aos Titãs foi justa, um grande nome dos anos 80 e há tempo de ainda encontrar a banda com os quatro dos nove integrantes originais, dois deles presentes, Arnaldo Antunes e Nando Reis que, aliás, deviam ter participado. Uma banda só de mulheres ficou no acompanhamento, regido pela superultramega baixista Cláudia Niemeyer. Deram a introdução, entraram na levada e nada de ninguém cantar, o público das fileiras da frente estranhou, alguns até se viraram para os Titãs, que estavam na plateia, numa de qual é? E eles também por fora. Até que finalmente entrou a Maria Gadú e começou a cantar. Mais adiante ela cantou Flores. Negra Li cantou Polícia e arrasou em Comida com citação de O que?.  Ana Carolina fechou com Epitáfio. Os Titãs subiram ao palco para o agradecimento de praxe, estendendo a homenagem aos ex da banda, Ciro Pessoa (saiu antes da fama), Marcelo Frommer (1961 - 2001), Charles Gavin, André Jung (bateirista do começo, foi para o IRA!). O Titãs fechou a noite com Sonífera Ilha.

Prêmio Multishow tem uma peculiaridade, é muito organizado no entorno e uma zona onde mais interessa, o palco. Os acessos são bem sinalizados, as áreas de estacionamento idem, muitas recepcionistas para orientar o público sobre os lugares liberados para sentar (a maioria é marcada para os indicados), a festa é muito bem transada, a imprensa bem atendida, etc. Já no palco foi uma confusão só. Os apresentadores Fernanda Torres e Bruno Mazzeo (podia ter feito "bagunça pra caramba") várias vezes pediram em voz alta, ao vivo, instruções sobre o que fazer em seguida, entravam na hora errada, recebiam aviso pelo ponto e voltavam atrás. Ninguém avisou Fernanda que, mesmo mandando um vídeo para aceitar o prêmio de melhor show, Ivete Sangalo mandou um representante para agradecer. Fernanda ignorou o homem, foi em frente, depois retrocedeu para deixar o representante falar o agradecimento enviado por Ivete. E por aí foi a noite de tropeços. 

Na festa, muita animação muito whisky, champanhe, cerveja e drinques para quem quisesse sair torto de lá - como sempre fiquei no meu veneno favorito, Coca Zero - canapés esquisitos, ou melhor, finos, com gosto de sei - lá - o - que (fiz uma pergunta provocativa de sempre: "Tem sanduíche de mortadela?") e um capeletti de pato com molho branco que estava engolível. Música brasileira na pista, bandas do programa Geléia do Rock se apresentando num palquinho, badalação, globais infiltrados e muita mulher bonita de pernas de fora, incluindo um time de 12 delas que vai entrar na segunda temporada do reality show Casa Bonita para brigar por um prêmio mixuruca, um carro (no BBB isso é brinde, sai aos montes).

Ana Carolina estava bem alegrinha, Nando Reis e Samuel Rosa entusiasmados com seus próximos lançamentos ao vivo, os irmãos Marcelo e Marcos Lobato, do Rappa, curtindo as férias e a festa, troquei gargalhadas com Isabella Taviani com lembranças de uma festa junina que fomos, esquivei - me de todas as bandas dos anos 00, vi uma paparicação total em torno de Serguei, topei com Arnaldo Antunes, alegrinho, circulando com Catatau, da banda Cidadão Instigado e produtor do último disco de Arnaldo, lé, ié, ié ... Por volta das duas da manhã, meti o pé. 


ANA CAROLINA E MARIA GADÚ NA FESTA DO PRÊMIO MULTISHOW
   
P.S. A ambientação cenário do prêmio estava muito bonita. Seria injusto deixar de elogiar o trabalho do cenógrafo Abel Gomes em painéis coloridos por leds que ficaram muito bonitos na tela da TV.


FOTOS: Veja.com / Ego

FONTE: Jam Sessions                                                                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário